terça-feira, 3 de março de 2009

Rotina

Leituras a parte.Palavras escritas por tantos que as oprimem e compõem seus textos, sem permissão das mesmas. As vezes me incomoda fazer uso delas, tão sagradas, tão voláteis, atingem de tantas formas. Diferem-se afetos, efeitos, fatos.Comungam comigo desejos, insanidades internas;Restringem;Constragem;Mas falam, e neste verbo ( falar ), permeiam o que há de mais prazeroso em sentir...Caso exista sozinho, caso exista em cumplicidade.Apresento-vos, aquele que dispensa apresentações;Aquele que todos já conhecem;Que poucos sentem como verdade;Mas que mais é confugurado em palavras, que mais se ouvi pronúncias;Aquele que é lei maior para uma parte sonhante;Aqui existe: o Amor...Não há como escrever sem tê-lo...Escrevo com Paixão, creio..Entre três pontinhos a cada fim de frase que merece continuidade no imaginário, que merece o ir além do ato e ação do pensar.Quem sempre obteve diálogos constantes?Quem ama "trocar idéias"?Observe bem, o amor presente num ato...E em quantos mais no mundo ele teve?A pergunta mais engraçada que já ouvi é: O que é o amor? Escutei que a amizade é um amor que nunca morre... Se não morre, pra quem crê em Deus, e como já o tenho também como um conceito nada científico, o amor seria o próprio, Deus.Sem mais a respeito da religião.Amor mundano, concreto, se difere de outros amares?Continuo com o amor, este que tortura, que faz e desfaz;Que constrói; que impreguina, e que transforma as vezes...Um desejo interno: ' aquele que sentir o meu amor, que sinta também de forma arrazadora ".Imagine isto em proporções mundanas...Aqui um escrito de tempos atrás. (2006)Escrito então,Pense em um baú com tudo de precioso que um tesouro pode conter.Agora imagine um pirata, porque tesouro sem pirata nao tem graça.Esse pirata encontrou o tesouro, e por forças inimagináveis, obteve a chave que abria o baú.Imagine... ele que não imaginava, tampouco sonhava em que acabara de encontrar, num impulso repentino, coloca as maõs lá dentro, bem no fundo... no fundo.Encontra a maior peça e a retira, como se fosse uma qualquer.Sabes o que ele leva em suas maõs?O "coração do oceano".A pedra mais preciosa já existente...Ele apenas a admirou e colocou-a novamente no baú... era apenas mais uma pedra..O coração do oceano pode sentir a brisa do mar por um instante que durou vidas...Porém, voltou ao seu ambiente escuro, quieto, sem vida...O pirata voltou aos sete mares...O tesouro está escondido, e dentro dele o coração do oceano, que grita incessante pelo seu libertário e ao mesmo tempo opressor. Maõs que o tocaram e que deram o ar da vida..Os piratas não têm lugar.Mas os tesouros sim.As ondas são os dias que a "cada" se passa.As praias são as mesmas, mas sua areia.Vai..volta...vai...volta...E o tesouro?E o pirata?E o mar?Ah, sim!Sou o tesouro!Meu coraçao é o “coração do oceano”.O pirata já foi... assim como as ondas...O mar.Ah! O mar. O mar é o meu amor por você!

0 comentários:

Postar um comentário